quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Recordar Raul Mendes...

Raul Mendes

Nascido em Alvorninha, Caldas da Rainha, cedo despertou para a música, tendo-lhe sido ministrados os primeiros ensinamentos por seu pai, quando contava apenas 11 anos de idade:

Estudou harmónica com os professores alemães Siegfried Sugg e Thilo Krassman e, em 1958 funda o "Trio Harmonia", tornando-se solista e líder incontestável do conjunto que viria a obter um assinalável palmarés a saber:

1.º Prémio do Concurso Internacional de Harmónica, 1962 – Alemanha

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1963 – França

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1969 – Suiça

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1973 – Bélgica

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1975 – Alemanha

Em 1974, conjuntamente com as suas filhas Ana Paula (12 anos) e Maria Luísa (11 anos), fundam o "Mendes Harmónica Trio", que viria a obter os seguintes prémios:

1.º Prémio do Primeiro Certame Ibérico de Harmónica, 1979 – Espanha

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1987 – Reino Unido

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1989 – Alemanha

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1993 – Alemanha

Em 1989 cria, com a sua filha Maria Luísa, o Duo "Raul & Luísa", variante do Mendes Harmónica Trio", e obtém também, na disciplina de duos:

1.º Prémio do Campeonato do Mundo de Harmónica, 1989 – Alemanha

Em 1979, em Granada – Espanha, onde obteve o 1º Prémio, com o "Mendes Harmónica Trio", obteve também, (individualmente), o Prémio de Honra, atribuído ao melhor participante do Festival.

http://raulmendes.bloguedemusica.com/p/perfil/

Provavelmente um dos melhores solistas de harmónica do mundo!!! Não acredita? Então oiça…

video
Mendes Harmónica Trio - Júlia Florista

1 comentário:

BatRitinha disse...

Através de uma visita ao «Príncipe Real ao Entardecer» vim cá parar, e não pude deixar de enviar um comentário, não pelo post a que fica associado, mas para te dar os parabéns pela qualidade e agradecer o sorriso de uma doce nostalgia.